Ceará Sporting Club - Campeão da Popularidade
Entrevistas
"Sozinho, nós não teríamos condições de fazer nada. Foi com a ajuda de todos, que nós conseguimos mudar a feição deste clube"

Evandro Leitão completa 7 anos na presidência do Ceará

Das arquibancadas ao cargo máximo no clube que move até hoje sua paixão

Das arquibancadas ao cargo máximo no clube que move até hoje sua paixão. Hoje, 18 de março de 2015, Evandro Sá Barreto Leitão, 47 anos, completa 7 anos à frente da Diretoria Executiva do Ceará Sporting Club.

Na agremiação, a história do mandatário alvinegro começou em abril de 2006, colaborando com as Categorias de Base do Alvinegro. Após esse período, antes de se assumir a presidência do Vovô, Evandro contribuiu bastante nos setores administrativo-financeiro do clube, diretoria de futebol e também como vice-presidente.

Na manhã desta quarta-feira, 18/03, Evandro Leitão concedeu entrevista exclusiva ao cearasc.com e contou mais um pouco sobre os desafios diários vividos em um clube de futebol, conquistas e pensamentos futuros relacionados ao Mais Querido. Confere aí!

Cearasc.com: Você foi um dos principais responsáveis pela reestruturação do clube e deu nova visibilidade ao Ceará no cenário do futebol nacional. É comum se sentir orgulhoso por essa conquista?
Evandro Leitão: Claro! Fazendo uma rápida autocrítica, o Ceará mudou muito desde 2006 para cá. Hoje, está completamente diferente de quando chegamos aqui, em 2008. Por conta disso, me sinto envaidecido e orgulhoso. É bom ressaltar a ajuda que tivemos por parte dos diretores, conselheiros, torcedores... Sozinho, nós não teríamos condições de fazer nada. Foi com a ajuda de todos, que nós conseguimos mudar a feição deste clube.

Cearasc.com: O Ceará, hoje, é um dos poucos clubes no Brasil que possui suas dívidas trabalhistas e fiscais sanadas. O que fazer para que isso se torne uma realidade permanente no clube?
E.L.: Precisamos ter uma responsabilidade financeira muito grande. No sentido de somente fazer aquilo que realmente podemos arcar. Apesar das dificuldades, nós procuramos honrar com todos os nossos compromissos. E é essa responsabilidade que nós estamos tendo e por isso o Ceará está conseguindo se manter entre os principais clubes do futebol brasileiro. Em uma pesquisa recente (CLIQUE AQUI), nós ficamos entre os 10 maiores clubes que se desenvolveram no Brasil. E isso tudo só acontece graças a essa responsabilidade financeira que adotamos em nossa gestão.

Cearasc.com: Imaginamos que deve ser motivo de alegria em ser presidente do clube que você torce... Mas existe um lado chato quando se está em um cargo de tanto trabalho, visibilidade e pressão?
E.L.: Eu não diria chato, mas em todo e qualquer processo na vida, você tem o bônus e o ônus. Você tem uma sobrecarga de trabalho elevadíssima e isso pode te prejudicar em casa ou, talvez, em uma colocação equivocada numa entrevista... Enfim, o bônus é quando o seu trabalho é reconhecido e admirado. Isso massageia o nosso ego. Todos nós, em algum momento, temos a nossa vaidade e o orgulho, mas também tem o lado mais complicado, onde você não tem condições, muitas vezes, de passar muito tempo ao lado da família, há um certo distanciamento com seus amigos e tem menos tempo até para o lazer próprio... Mas eu acredito que tudo compensa com o reconhecimento que o torcedor tem pela gente.

Cearasc.com: Em 2015, você pode se tornar um presidente pentacampeão. Você já consegue mensurar o tamanho de uma conquista como essa?
E.L.: Na verdade, eu não tenho a vaidade de dizer que seria um presidente pentacampeão. Eu tenho orgulho, sim, em dizer que o meu time é pentacampeão. Eu me sinto em casa quando estou no Ceará. Tenho um carinho enorme por esse clube. Por isso, ver esse time crescer e cada vez ser respeitado é o que me dá orgulho. Sem dúvida alguma, uma conquista como essa do pentacampeonato é muito importante. A verdade é que eu trabalho muito em mim a questão da humildade. O futebol é dinâmico demais, as coisas acontecem em uma velocidade muito grande. Em um determinado momento, você está muito bem, mas em pouco tempo sua realidade pode mudar. Por isso, você tem que saber “surfar nessa onda” que é o futebol, para saber trabalhar forte e conquistar tudo aquilo que você almeja.

Cearasc.com: Qual a principal dificuldade que tem um presidente de futebol de um clube brasileiro?
E.L.: Financeira, não tenha dúvidas disso. O futebol no Brasil todo está muito inflacionado. Para que você consiga fazer uma boa equipe, você precisa fazer investimentos altos. Isso, claro, sempre esperando que o torcedor dê o devido retorno. Realmente, é uma situação extremamente difícil de lidar, pois precisamos ter bastante cautela e responsabilidade. Às vezes, ficamos no binômio de ter a precaução e ao mesmo tempo ter que arriscar em investimentos altos... Mas graças a Deus, nós temos conseguido, ao longo desses anos, honrar com todos os nossos compromissos. É Nele que me agarro para superar as dificuldades e ter forças para continuar nesse trabalho árduo, tentando sempre fortalecer a instituição Ceará Sporting Club.

Cearasc.com: Você falou em uma entrevista recente que um clube pode ser considerado grande quando tem títulos nacionais importantes. Como a diretoria alvinegra está trabalhando para que isso possa ser uma realidade no Ceará S.C.?
E.L.: Todas as nossas ações são visando à essas conquistas a nível nacional. É um trabalho sério e transparente. Aqui, não existe diferença de tratamento, por exemplo, do ídolo da equipe até o jogador mais humilde... Nossos funcionários são tratados da forma mais humana possível. Aqui, é a segunda casa de todos nós. Por isso, precisamos ter um ambiente harmonioso, onde precisamos ter uma sintonia muito forte. Eu acredito que todos esses fatores atrelados à responsabilidade financeira que nós temos e, sobretudo, a escolha correta dos profissionais que contratamos favorecem para que construamos uma equipe vencedora e campeã.

Cearasc.com: Você considera a aquisição do Centro de Treinamento do Nordeste (Ceten) a principal marca da sua gestão? Qual a contribuição que isso pode trazer ao Ceará S.C.?
E.L.: Não tenho dúvida em dizer que a compra do Ceten, hoje Cidade Vozão, está entre os três maiores marcos da nossa gestão. Sobre a importância dessa conquista, posso afirmar que em um prazo médio iremos formar grande atletas e assim oxigenar nossa equipe profissional. Isso nos dará condições de ter em nosso time profissional atletas formados na Cidade Vozão, como também ter retorno financeiro para o clube em futuras negociações. A finalidade da aquisição do Ceten foi uma só: revelar bons jogadores e obter melhorias para o Ceará como um todo.

Cearasc.com: Outra coisa boa que aconteceu durante esses sete anos onde você esteve à frente do Ceará foi que o programa de sócio-torcedor foi alavancado. Para o clube, qual a importância da fidelização do torcedor alvinegro?
E.L.: O sócio-torcedor é extremamente importante. O recurso que vem do programa de sócios nos dá a possibilidade de um planejamento baseado em cima de uma receita fixa. Esse é o grande motivo da contribuição desta torcida que contribui enquanto sócia do clube. No futebol, se você não trabalhar com uma receita mínima fixa, você não terá condições de fazer quase nenhum investimento. Mas quando você já tem uma receita pré-estabelecida, isso nos dá uma possibilidade de saber qual o investimento que poderemos fazer.

Galeria