"Existe Uma Chance": Campanha une cearenses por doação de medula óssea
Ceará Sporting Club

"Existe Uma Chance": Campanha une cearenses por doação de medula óssea

Ceará e Fortaleza se uniram em torno de uma conquista muito maior

(Foto: Christian Alekson / cearasc.com

A brilhante trajetória de um jovem, estudante do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), ganhou mais um capítulo de superação e determinação nos últimos meses. Com ele, uma corrente de solidariedade que começou com familiares e amigos entraram em campo no jogo de ida da Final do campeonato cearenses 2015, unindo os Ceará e Fortaleza, em torno de uma conquista muito maior: a vida de milhares de brasileiros que aguardam na fila por um transplante de medula óssea.

“Descobri que estava com Leucemia e comecei o tratamento no INCA. Apesar dos bons resultados, precisarei de transplante. Infelizmente minha irmã não é compatível. Com isso, meu nome entrou no banco de medula”, conta Beethoven Brandão, 19 anos.

Para que se realize o transplante de medula é necessário que haja total compatibilidade entre doador e receptor.  A análise de compatibilidade é realizada por meio de testes laboratoriais específicos, a partir de amostras de sangue do doador e receptor. Fora da família, a chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de uma em cem mil.

“Receber o diagnóstico foi impactante e desafiador. Com o tempo, a minha maneira de encarar a situação foi mudando. Escolhi enfrentar essa doença como uma oportunidade de evoluir. Paciência, otimismo e bom humor têm me ajudado a ver o tratamento como uma fase passageira, com ensinamentos para a vida inteira”, relata o estudante.

E Beethoven não está sozinho nesta luta. Amigos e familiares iniciaram, por meio de perfis nas redes sociais, a campanha Existe uma Chance, que visa sensibilizar o maior número de pessoas a se cadastrarem como doadores de medula óssea. “Como a chance compatibilidade entre duas pessoas é  muito pequena, esse cadastro dificilmente será voltado para mim. Mas, sem dúvida, ajudará a salvar alguém em alguma parte do mundo”, explica.

COMO POSSO SER UM DOADOR?
1 - O  cadastro   pode ser feito em  campanhas  de doação ou  nos   Hemocentros  da sua cidade. Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5 a 10ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

2 - Em média, dois meses após o cadastro seus dados estarão disponíveis no REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea). Cada estado faz o seu próprio cadastro, mas todos os dados vão para um único registro.

3 - Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação. A medula é retirada por meio de punções, o procedimento é feito com anestesia e dura aproximadamente 60 minutos.

O QUE É MEDULA ÓSSEA?
A medula óssea é um tecido liquido, encontrado no interior dos ossos, responsável pela produção dos componentes do sangue: plaquetas, hemácias e as células brancas, agentes mais importantes do sistema de defesa do nosso organismo.

O transplante de medula é um tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como leucemia; linfomas; anemias graves; etc. Consiste na substituição de uma medula óssea doente ou deficitária por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma medula saudável.

QUEM PODE DOAR?
Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). Lembre-se que uma vez no cadastro, poderá ser chamado, se identificado como compatível com algum paciente, até os 60 anos. Importante: Caso você já seja um doador mantenha seu cadastro atualizado.

Participe das nossas promoções, clique AQUI e faça seu cadastro.


Relacionadas

Últimas